Tag: vidasaudavel

Ter consciência de uma boa postura é sinónimo de vida longa

Provavelmente estão a pensar no que a imagem tem a ver com o tema da postura. Na verdade, quando vi esta fotografia lembrei-me de um raio-x que fiz à minha coluna há uns anos. Era parecida, mas na versão preta e branca.

Depois de me ser diagnosticada escoliose, tenho eu uma coluna em S (condiz com o meu nome que também serpenteia) tive direito a um mês de correção postural numa clínica de fisioterapia. Por mais doloroso que fosse, o tratamento fez-me maravilhas. Especialmente a parte em que me aconselharam vivamente a praticar desporto o resto da minha vida. Foi a melhor sentença que podia ter ouvido.

Antes disso, tinha sido aconselhada a não correr, não saltar, apenas caminhar. Evitar essencialmente impactos. Só que eu fui teimosa em aceitar este estilo de vida mais pacato e preguiçoso.

Entrei para o yoga. Comecei a surfar, a correr, e a ter treinos no The Studio, com o Sérgio (recomendo vivamente). Confesso que me chateia ouvir “não faças tanto exercício.” É exatamente pelo exercício todo que tenho feito que não tenho sofrido nos últimos dois anos com dores de coluna.

Aprendi que tudo na medida certa, só nos faz bem. Aprendi a importância da correção postural. Aprendi que os meus ossos adoram músculos. Tudo se resume sempre a viver de forma saudável, mais leve, com mais energia, mais disposição, mais feliz. Eis as lições que tirei desta vida aos esses.

#1. O yoga é o melhor aliado para a escoliose. Algumas das posturas mais básicas do yoga ajudam a reduzir a curvatura da coluna e a dor que muitas vezes sentimos. Como o yoga mexe com a pressão sentida pela coluna (pelo facto de não ser uma linha direita), obriga a uma reação. Eu confesso que me sinto mais alta, ou seja, mais direita.

#2. Se tens escoliose, sugiro que faças primeiro sessões de correção postural numa clínica indicada. A massagem muscular aliada a uma sequência de exercícios lentos e repetitivos da fisioterapia, bem como a sessão médica de torção da coluna ajudam a criar consciência de como devemos estar, andar, sentar no nosso dia-a-dia.

#3. Intensifica os teus exercícios. Quanto mais força tiveres no teu core, mais direita fica a coluna. Os músculos fortalecidos obrigam o corpo a adoptar a postura mais correta.

Pilares para uma vida saudável

Transformar o corpo de dentro para fora. Este é o primeiro passo para se querer viver de forma saudável. Abdicar de vícios, de ingredientes físicos e espirituais que nos prejudiquem. Ter a coragem de cortar com o que não interessa, assim de forma abrupta tal e qual como se arranca de uma só vez, um penso rápido. Vai doer, prometo, mas compensa.

Temos de nos recordar continuamente que somos dotados de livre-arbítrio, temos poder de escolha. Vivemos a vida que queremos, sempre assente nas nossas escolhas e suas consequências. Para mim, mudar de vida, significou agarrar-me às boas escolhas, interpretar o que me rodeava para saber o que era necessário alterar. Dia após dia. E deixar-nos apaixonar por essas mudanças que vamos fazendo e sentindo. No entanto, sou da opinião que temos de ter pilares para dar inicio a uma nova jornada na nossa vida. Para viver neste status social de ser saudável, tive de interiorizar os meus pilares, que agora aqui partilho para vos orientar.

Prepara o caminho para o sucesso

Para conquistar um estilo de vida saudável o primeiro passo é abrir caminho ao nosso sucesso nesta mudança. Sugiro, em primeiro, uma limpeza a todos os alimentos que não sejam saudáveis: batatas fritas, bolachas, cereais e barras de cereais, sumos e refrigerantes, chocolates, doces, entre outros. Tudo fora do nosso alcance. Depois, há que substituir por verduras, legumes, frutas frescas, leguminosas, aveia, chia, só coisas boas. Mesmo.

Segue-se a introdução à atividade física. Obrigatória. Há que criar um espaço em casa para fazer exercício, investir em equipamento desportivo como halteres, caneleiras, bola medicinal, tapete. Aos poucos reunimos condições para querer fazer desporto. E se ainda assim faltar motivação, talvez estas dicas ajudem.

Ambos criam o cenário para querer ser saudável. Junto a isto a técnica da visualização, como encontrar fotografias de pessoas, objetos ou alimentos que representem aquilo que queremos ser ou atingir (tenho muitas no meu telemóvel).

Aprende a movimentar o teu corpo

É fundamental ter mobilidade. É mais do que praticar desporto. Precisamos de aprender a movimentar o corpo, dar-lhe a agilidade necessária para termos uma postura direita e vivermos sem dores nas articulações ou nos músculos. E que movimentos são esses? Saber usar o core (zona abdominal) para ajudar a manter a coluna direita; ganhar músculo nos glúteos para exercerem a sua função de forma correta, certificar que temos mobilidade suficiente na anca para desempenhar movimentos de forma natural e sempre sem dor. Quando sabemos usar a nossa máquina como suposto, praticamos atividades físicas com outra força de vontade.

Encontra a tua paixão desportiva

Paddle, ténis, surf, yoga, skate. Ao descobrir a nossa paixão por uma atividade física vamos ter muito mais motivação em querer fazê-la diariamente (ou pelo menos 3 vezes por semana). O que importa é gostar do que estamos a fazer, como tudo na vida. Quando gostamos verdadeiramente de algo, queremos sempre mais. É tão simples quanto isto.

Mede os teus resultados

Balança? Isso não é medir o nosso sucesso. O peso é irrelevante. Quando vivemos de forma saudável, tudo se resume à criação de hábitos, bons hábitos, e a vontade de os seguir sempre. É preciso, em primeiro, ganhar consciência do nosso momento presente – o que fazemos por nós próprios, que nutrientes dou ao meu corpo, descanso o suficiente? Depois é que passamos para a consciencialização do que queremos atingir. Eu faço isto de forma simples: um diário onde anoto todas as mudanças que fiz e faço, os treinos, os planos alimentares. Assim posso sempre medir o meu progresso e continuamente alterar os meus maus hábitos que tentam sobreviver.

Há quem tente saltar diretamente para a mudança e escapa a este processo de criar pilares, de ganhar consciência sobre o que se está a fazer e registar o progresso. Tudo isto tem-me ajudado a manter o foco, a ver valores para lá de excelentes nas análises médicas e de me apaixonar todos os dias por ter feito a escolha de ser e viver saudável.

5 Dicas para Vencer a Preguiça e Começar a Treinar de Manhã

Enganas-te se pensas que não custa a todos os corredores, yogis e surfistas sair cedo da cama para se dedicar à atividade física. Custa pois. Há dias em que chega a ser penosa esta discussão entre conforto da almofada e objetivo a alcançar. Só que nada nos impede de o fazer, nem esse sossego da manhã.

O que nos distingue é só mesmo a motivação. Para a alcançar há que fazer certas cedências ou alterações na rotina; é um ajuste tal e qual como se faz numa relação. As dicas que aqui partilho são algumas das boas práticas que gosto de manter e servem de sugestão para quem quiser começar a acordar cedo e atirar-se a uma corrida, ao ginásio, ao yoga…

#1. Come pouco ao jantar. Não é para comer apenas brócolos. A verdade é que se comeres alimentos mais facilmente digeríveis, nada de gorduras saturadas, e no meu caso, hidratos de carbono como pão de farinha branca ou massas, acordas com outra disposição. Evitas aquela sensação de corpo pesado pela manhã. Alimenta-te, mas escolhe bem o que pões no prato.

#2. Acorda com tempo. É preciso comer pelo menos meia hora antes de começar a treinar. Há quem não coma mas isso cabe a cada corpo decidir o que é a melhor prática. Para mim, dois ovos mexidos e espinafres (salteados ou em batido) antes do treino são suficientes para me dar energia. Acompanho sempre com um chá Yogi Detox para despertar o bom funcionamento do corpo.

#3. Preparar o plano de treino e o respetivo equipamento na noite anterior. Esta vale ouro. Olho para a cadeira ao fundo da cama e vejo o meu amanhã. É também chamado de dormir sobre o assunto.

#4. Deixa o pequeno-almoço feito. Se tens preguiça matinal para cozinhar, a solução é preparar o pequeno-almoço na noite anterior. Frascos de fruta e aveia são uma boa solução.

#5. Gere o despertador para respeitares o teu acordar. Há quem coloque o despertador longe da cama para poder saltar no primeiro toque. Eu não faço isso, sou disciplinada, deixo-o ao meu lado. Às vezes dou por mim a acordar antes do toque, coisa do hábito. Gosto de despertar com calma; o dia logo trará o stress não preciso que esse momento seja tenso. Acima de tudo, porque o meu dia começa com o meu momento, o meu tempo de treino, e é essencial que o viva com prazer.

Como nutrir a vida de uma surfista (e não só)

Há um momento que separa a minha vida; aquele em que após uma consulta com a médica de família sou chamada a atenção de que o meu colesterol é excessivo para o estilo de vida que levava, e caso não alterasse os meus hábitos alimentares, teria de passar a tomar medicação para ajudar a controlar o colesterol. Se há coisa que sempre tentei evitar foram os medicamentos químicos, aos quais o corpo cria forte dependência. Esse momento trouxe-me o agora.

A alternativa, segundo a minha médica, seria passar a ingerir mais verduras, fosse nas sopas, cozidas ou cruas. Na altura, lembro-me de começar a gostar do excelente aspeto das comidas “no estado natural” que a Felt By Heart colocava no Instagram. Deixei-me levar por essa inspiração. Volvidos três anos, deixei de entrar na pastelaria para pedir um croissant com chocolate para substituir por passeios à hora de almoço aos supermercados biológicos, e de, no momento presente, fazer as escolhas certas. Alimentos que me nutrem de dentro para fora.

Verdade seja dita, sempre protestei que comida verde era para as vacas no pasto. Hoje, estes mesmos verdes, são 90% dos meus pratos.

Resultado: tenho mais energia, um colesterol baixinho, uma vitalidade que não pensava atingir aos 32 anos. Além disso, tenho novos vícios alimentares onde não entram batatas fritas, molhos ou gorduras saturadas. Eis o que não dispenso para me nutrir enquanto surfista, yogi e mais do que no desporto, no meu dia-a-dia.

Salmão. Seu gordo, és a minha perdição. Quem me conhece sabe que tenho uma paixão gastronómica ardente por salmão grelhado. Devemos e podemos consumir salmão a qualquer hora do dia oferecendo assim ao corpo inúmeras proteínas, Vitamina B e Omega-3. Dos inúmeros lados bons do salmão, saliento a importância deste alimento para nutrir o cabelo – quem vive exposto ao sol e ao mar deve consumir este peixe gordinho já que o ajuda a manter-se forte. Consumo de forma ponderada.

Frutos secos. Pouco me falta para ser roedora. Nozes, avelãs, cajus. Gosto de tudo. Os frutos secos têm uma quantidade espectacular de vitaminas e minerais como vitamina B1, B5, B9, B2, ácido nicotínico, vitamina E, B6, ferro, zinco, magnésio, fósforo, selénio e cobre. Só coisas boas. Trago sempre uma caixinha com alguns frutos secos. Comer de forma moderada é o truque.

Espinafres. Fiz alergia em criança; nunca mais comi. Era a desculpa. Tem espinafres? Pois, não posso comer, sou alérgica. Até ao dia que pus os espinafres num dos batidos inspirados pela Joana. Contêm ferro e magnésio, dois minerais essenciais para o nosso corpo. Ficam bem salteadas ou as folhas baby misturada nas saladas, na sopa, nos batidos.

Ovos. Ando sempre com um ovo cozido atrás, além de ajudar com a proteína na questão muscular, é vital para dar energia e tirar ataques de fome. Opto, sempre que possível, pelos ovos biológicos mas já sabemos que os custos de uma vida mais saudável são elevados.

Chocolate (ou como quem diz, cacau). Continua a ser o amor da minha vida, o chocolate. Culpo as minhas origens helvéticas que desde cedo me mostraram um caminho sem retorno. Mas hoje consigo trocar o chocolate de leite por um quadrado de cacau; o sabor amargo é uma questão de hábito tal como beber café sem açúcar. Contribui para a redução da pressão sanguínea e beneficia o coração, além de me ajudar com os estudos à noite.

Uma dieta com equilíbrio e um truque para cozinhar os meus alimentos. Sou presente quando preparo os pratos: penso no valor que acrescento à minha vida por fazer as escolhas certas e agradeço cada nutriente que me alimenta. No fim, rego tudo com amor para o tempero ficar no ponto.

Quais são os teus bons vícios? Partilha comigo nos comentários ou no Facebook.