Tag: fitness

Surf Style Training: treinar como um surfista

Como é que me vou aguentar na remada? O mar está grande. Será que tenho força de pernas, core e costas para vencer a corrente? Ajuda ao corpo saber surfar em qualquer tipo de mar. Aliás, continua a ser o treino mais eficaz. Mas há dias em que não posso ir surfar e estar parada faz-me perder ritmo. Por sorte descubro pessoas como a Elise Carver, criadora do programa de treino Surf Style Training, para me manter em forma.

A Elise é uma miúda ligada ao desporto. Começou por fazer ginástica em criança e aos 12 decidiu apostar na escalada, o que a ajudou a construir os exercícios necessários para desenvolver core, braços e costas. Quando se mudou para a Surf Coast, na Austrália, apercebeu-se – sim, também começou a surfar – que o surf exige muita capacidade física e por essa razão, fazia sentido criar um programa de treino inspirado no surf para melhorar a qualidade de vida.

Mas como podemos treinar com a Elise? Se forem como eu que não ando num ginásio, basta subscrever no site Surf Style Training, arranjar um tapete (pesos ou garrafas de água de 1,5L e colocar na mente, os 5 fundamentos que a Elise trabalha nos seus treinos, Core, Flexibilidade, Equilíbrio, Resistência e Agilidade.

Elise explica que não nos quer fazer saltar à corda vezes sem conta. Quer antes estabelecer um treino sustentado à nossa capacidade. É focado no core através do yoga, exercícios de equilíbrio e pliométricos, com exercícios de correção postural, alongamentos e ainda recuperação.

Vamos ao treino? Já sabem, estamos na meta dos #100diasverão.

O que me motiva, inspira e move

O despertador toca, todos os dias, às 05:45 da manhã. É o primeiro toque, o segundo avança 10 minutos depois. Lanço-me em flecha para fora da cama não vá o esqueleto preferir ficar na ronha. “Ai que horror, dá p’ra ficar boazona sem esse drama?”, ficou pendurada a mensagem no whatsapp na noite anterior. Em pensamento respondo: dá, claro que sim. Mas não é isso que me motiva, inspira e move.

Há privilégios que os devemos ter e viver sem questionar. Ouvir a madrugada. Sentir o nascer do dia. Vejo o sol tímido a espreitar por detrás das colinas da margem sul lá ao fundo. Sei que dali a dez minutos, um casal de idosos vai passar por mim e atirar-me com um bom dia contagiante. É já ritual e a única companhia. Estão a fazer a sua caminhada. E o que os motiva, pergunto-me. Imagino a história daquele casal. A vida já vai curta, são muitos anos nos ossos. Se ficarem a dormir, entregam-se à rotina, ao cair da tristeza. Ao caminharem ainda na fraca luz da manhã que começa a aparecer, talvez se sintam menos velhos, menos acabados. Mais preparados para o que o dia trouxer.

Não precisamos de frases de motivação, de mensagens de motivação. Apenas precisamos de viver com as melhores escolhas. Saber que o dia é maior do que a noite. Que o caminho que percorremos é fruto desta nossa escolha. Ficar a dormir ou viver o dia.

Mas esta vontade tem de vir de algum lado. Podia escrever sobre as energias, o pensamento positivo, outras tantas filosofias que têm a sua quota parte de razão. Mas o que me motiva é sentir-me mais preparada para o dia. Se eu sou capaz de acordar antes do sol nascer, vestir-me, sair no escuro para correr sozinha no meu trilho, no meu caminho, sou capaz de fazer qualquer coisa no meu dia. É esse o espírito que carrego em cada pisada. Nada me pára. Nada me impede.

Já viram a campanha da Under Armour com o Michael Phelps? Deixa a seguinte mensagem:

It’s what you do in the dark, that puts you in the light

É isto. É o que tu fazes por ti quando mais ninguém vê; o que fazes por ti, apenas por ti, quando não tens ninguém ali que define quem és no teu dia. Dai ter-vos lançado o desafio #100diasverão. É por ti, para ti. Apenas meia hora do teu dia para te sentires mais preparado para a vida.

Amanhã às 05:45?