O que faz de John John Florence o melhor surfista do mundo

John John Florence dispensa apresentações. É o atual campeão mundial de surf e também alguém que admiro muito pela atitude que tem perante a vida.

Ainda no rescaldo do campeonato MEO Rip Curl Pro Portugal sinto que também quero deixar aqui registado o momento histórico que nós portugueses pudemos assistir: John John Florence sagrou-se pela primeira vez na vida campeão mundial de surf cá em Portugal (e eu tive a oportunidade de o ver a surfar ao vivo, que lenda!).

Mas não é sobre isso que quero falar, nem da sua exímia capacidade técnica nas manobras de surf. Já todos percebemos que o puto é mesmo bom no que faz. Eu quero antes evidenciar – na minha humilde opinião – a sua atitude perante a vida e como a força da mente nos ajuda a levar onde queremos ir.

É totalmente focado: “toda a minha vida eu trabalhei para isto“, disse na terça-feira, após ter ganho o campeonato em Peniche. Não se trata apenas de levar o título de campeão, salienta-se aqui a constante capacidade de se manter focado no objetivo que sempre quis alcançar. E assim foi. Se desde criança quis ser campeão mundial, aos 24 anos conseguiu. Há que perceber que a vida nem sempre acontece no ritmo que queremos, tudo leva o seu tempo.

É grato: “acordo todos os dias a pensar na sorte que tenho”. Esqueçam a arrogância. Quem sabe agradecer, vê a vida a fluir. Que o diga John John Florence. Eu também o digo por mim. Ao ser grata pelas oportunidades que tenho, sinto-me mais capaz para fazer seja o que for, e consequentemente, mais feliz.

Dá o seu melhor. Se sabe que vai estar fora durante para competir, vive aqueles momentos como únicos, canalizando ali toda a sua energia e tempo. É um compromisso de entrega irrepreensível. É assim que se deve viver. Dar o nosso melhor, sempre, em tudo o que fazemos.

Relativiza as situações. Nem sempre conseguiu boas classificações, o que não o fez desanimar ou desistir. Sabe que está em competição, mas acima de tudo pensa que tem de se divertir. E nada melhor para o tornar mais relaxado em relação à pressão dos campeonatos. Quando relativizamos as situações mais adversas na nossa vida, conseguimos aliviar a pressão.

Medita. Eu estava na praia de Super Tubos sentada perto do corredor de passagem dos surfistas e lá vinham os seguranças a rodear o menino prodígio. Estava tudo histérico com a sua presença, só que ele vai calmo. Parou diante do mar durante uns momentos e ali ficou tranquilo, a respirar calmamente. Estava a meditar.

Sempre que me encontro diante de uma situação de stress, recolho-me às técnicas de respiração que ajuda a sossegar a mente e isso ajuda-me a pensar com clareza. Acredito que John John Florence deva ter recorrido à técnica da visualização enquanto meditava. É que se se viu a vencer a tudo, ele conseguiu.

Direitos de imagem: Ture Lillegraven in Outside