Category: yoga

Um dia pego na mochila e vou conhecer o mundo

Sempre tive esta certeza: as viagens transformam. O facto de nos ausentarmos da nossa zona de conforto, da nossa vida rotineira, dos que nos são próximos, faz com que nos tenhamos de adaptar e descobrir mais sobre nós.

Vou finalmente, depois de um interregno, pegar na mochila e conhecer o mundo. Vou atravessar continentes para na verdade fazer uma viagem de autodescoberta, de perceber até que ponto sou feliz, de por em perspetiva tudo o que tenho e faço, aquilo que quero para o meu futuro, por que esta ausência da minha realidade, vai-me ajudar a redirecionar o meu foco.

Vou conhecer o meu mundo do surf, do yoga, da minha espiritualidade. Quero dizer vezes sem conta namaste; quero rodopiar no mar com sorriso largo na face, permitir-me a lidar com uma nova cultura, e ser redondamente grata por esta oportunidade.

Que venham daí as boas energias. Espero conseguir colocar em palavras a minha experiência, partilhá-la. Prometo deixar-vos com pequenas reportagens no Instagram. From Bali with love  ♥

É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão. O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem saber ver.

 

Vive em harmonia este outono com a prática de yoga

Quando o outono chega, a luz torna-se mais intimista, os frutos caem e as folhas terminam o seu ciclo de vida. Devemos aceitar com naturalidade a mudança de estação e integrá-la na nossa vida. Só que nem sempre é fácil. Como o yoga nos pode ajudar nesta transição?

Somos parte da natureza e com ela devemos fluir. Sempre gostei de sentir a mudança de estações, se bem que hoje em dia não sejam tão vincadas, eu mantenho-me consciente ao que acontece. Trata-se de adaptar o nosso corpo às transformações externas. Este ano, estranhamente, está-me a custar separar dos dias quentes, mas tenho de contrariar este feeling. Como? Vou adaptar a prática do yoga para o outono, para me ajudar a entrar mais serena no inverno.

Saudações ao sol. Com as temperaturas a cair, aquecer bem os músculos e as articulações antes de qualquer prática desportiva é essencial, incluíndo no yoga. Noto por mim, fico com as mãos e os pés frios, os músculos mais rígidos. Custa-me mais ter agilidade. Portanto, uma das soluções é integrar nas nossas manhãs e antes do exercício, seja ele qual for, as saudações ao sol. Como aquecem a região do core – abdominal (plexo solar na linguagem do yoga) – é excelente para ativar o nosso fogo, a nossa energia interna.

Contrariar a preguiça com posturas de extensão da coluna. Quem não sofre de ataques de preguicite aguda nesta altura? Precisamos por isso mesmo encontrar movimentos que estimulem o sistema nervoso central, que sejam os nossos despertadores energéticos. No meu livro de cabeceira do professor Hermógenes* encontrei duas posturas para nos energizar. São elas dhanurásana (pose do arco), que enriquece a personalidade, dando vivacidade à mente, e halásana (pose do arado). Nesta postura, o corpo ao assentar sobre a região cervical provoca uma onda de calor que se traduz numa intensa sensação de vida e energia (dá-nos agilidade mental e alivia-nos de um estado mais angustiante).

Abraçar o recolhimento do outono com posturas de flexão do tronco, que acalmam o ritmo cardíaco e baixam a pressão sanguínea. Ou seja, de dia fixamo-nos nas posturas de energia, à noite vamos sossegar a mente com a prática de pashimottanásana (pose da pinça), a postura conhecida por “a fonte da energia vital” pelos inúmeros benefícios que nos traz, incluindo o combate às insónias.

Meditar entre queda de folhas. Se as folhas caem e os frutos também não será por acaso; para mim trata-se de libertar o passado. Desapego. A minha ideia é simples: como deixar o passado cair em harmonia? Através da meditação. Ir até um parque ou jardim, colocar o meu tapete e através das técnicas da respiração – pranayama – acalmar a mente e começar a fechar o ciclo. O que passou, passou.

Viver o tempo da introspecção. Já que nos roubam a luz do dia, vamos aproveitar este tempo para reorganizar a nossa energia interior. Viver com mais calma, serenidade. Afinal é isso que a natureza se prepara para fazer. Talvez olhar para nós, para os nossos objetivos de vida e repensar no que queremos conquistar a todos os níveis e a melhor maneira de terminar o ano com vontade de vencer na próxima estação. A prática de Hatha Yoga ajuda tanto nisto, é só aproveitar as aulas e conseguir encontrar cá dentro as nossas respostas.

Acima de tudo, temos de encontrar formas de nos equilibrar em todas as fases da nossa vida. Se soubermos aproveitar as ordens da mãe natureza, integrá-las com a naturalidade com que os animais e as plantas o fazem, aposto que os resultados serão mais do que visíveis. Vamos estender o tapete?

Fonte: "Autoperfeição com Hatha Yoga", Prof. Hermógenes
Fonte: Yoga Journal

Como o Yoga e o Surf dançam juntos sobre as ondas

Surf & Yoga

Tive a minha primeira aula de surf tarde. Tarde na idade porque a agilidade em criança para adaptar o nosso corpo a determinado desporto é muito maior… Mas felizmente apareceu o yoga que me veio dar o complemento que o surf tanto pede.

Até aos meus 25 anos fazia ski aquático, adorava o poder de deslizar sobre a água; só nessa altura, a um quarto século de vida, é que me atrevi a entrar no mar para surfar. Não por falta de vontade ou por morar longe da praia, simplesmente por que os meus verões eram passados na barragem entre slaloms de ski e tentativas de saltos no wakeboard.

Quando decidi começar a surfar, levar isto mais a sério, percebi que o meu corpo precisava de se ajustar e muito a este desafio, e que as minhas corridas semanais não eram suficientes. Tinha de encontrar uma forma de trabalhar o equilíbrio, a agilidade e a capacidade respiratória. Além disso, tinha de aprender a sossegar a mente para encarar o meu medo das ondas com serenidade. Foi aqui que o yoga entrou em cena.

Pratico Hatha Yoga que trabalha a união da mente com a alma. Através desta filosofia centramos a nossa atenção na ação. Ou seja quando estamos a fazer uma postura, uma asana, temos de estar totalmente presentes em todas as fases desde a entrada, permanência à saída da postura. Se estivermos na prática de um pranayama, um exercício de respiração, temos de nos focar no ar que circula nos nossos pulmões.

E assim começa a dança entre o yoga e surf. A transição de uma prática para a outra. Treinar o corpo, os músculos é a parte fácil do surf. A parte difícil fica no domínio da mente. Estes são alguns dos benefícios do yoga para quem pratica surf e não só.

#Foco e Concentração

Entrar no mar tem o seu quê de dispersão. Ondas, rebentação, outros surfistas, ler o mar, procurar o pico, enfim, um set de acontecimentos. É fácil perder a concentração na nossa postura sobre a prancha. Como no yoga trabalhamos o momento presente, hoje consigo comandar a mente para me centrar no que é necessário. E quando me disperso, basta voltar ao pranayama.

#Reforço do Sistema Cardiovascular

O yoga não é um desporto, é uma filosofia de vida. E, no Hatha Yoga, como já expliquei fazemos exercícios de respiração. A respiração completa em que usas os pulmões por inteiro. Inspiras, o ar faz-te crescer abdómen e tal como uma onda, passa para lateralidade do corpo, abrindo como um acordeão, subindo para a zona clavicular encolhendo o abdómen neste processo. A respiração completa tem esta capacidade de te ensinar a respirar como deve de ser. Com o pulmão por inteiro. A tua capacidade cardiovascular transforma-se a partir do momento em que aprendes a respirar.

#Recuperação física

Através do yoga consigo recuperar a minha capacidade física mais rapidamente. Como nas posturas alongamos bastante os músculos, consigo soltar tensões. Aliás, não dispenso de fazer yoga antes e depois do surf. Antes, enquanto aquecimento e preparação muscular; depois, para os devidos alongamentos e libertar os músculos da contração a que estiveram sujeitos.

Ficaste com vontade em experimentar yoga? Lucy Foster Perkins (nas imagens) é professora de yoga para surfistas. Tem um canal no youtube com algumas rotinas fáceis de seguir. Se ainda não entraste nesta filosofia do yoga, está na hora de comprares um tapete (e já agora, a prancha também).

Nota de rodapé: praticar yoga sem qualquer tipo de conhecimento não é aconselhável. Nada como encontrar uma escola e professores para te ensinarem esta prática.